Este é um ministério para servir o corpo de Cristo, para aqueles que estão na caminhada, e desde então sofrem relutando contra as adversidades e os pecados de estimação.

Deus tira o seu povo do Egito (Ex 13), podemos dizer que o povo estava liberto da opressão de Faraó, mas em Êxodo 14:12, o texto afirma que o povo prefere a escravidão. “Já não lhe tínhamos dito no Egito: Deixe-nos em paz! Seremos escravos dos egípcios! Antes ser escravos dos egípcios do que morrer no deserto!”

A libertação física não é a libertação da alma, pois claramente ainda estavam espiritualmente escravizados. Em Mara as águas eram amargas e povo murmurava e diziam: “O que vamos beber?” (Ex 15.22-23). Provavelmente em seus corações lembravam-se das águas do Egito. Mas no deserto de Sim o povo tem fome de carne e desejam mais uma vez estar no Egito (Ex 16.3), e este capítulo apresenta um Deus irado com a ingratidão deste povo.

Na verdade o povo estava fisicamente longe do Egito, no entanto é evidente que ainda na permaneciam na escravidão de antes. O coração daquele povo não tinha deixado às terras do Faraó. Isto é a prisão emocional. Por isso que libertação é para os cristãos que estão a caminho da terra prometida.

Canaã é o lugar preparado para os curados, para os desejosos por liberdade, quem tem mente de escravo não poderá usufruir da liberdade que Deus oferece, veja o exemplo de Calebe e Josué, eles entenderam e viveram o melhor de Deus.

Este seminário só será efetivo na vida de alguém que entendeu a sua real necessidade de ser ministrado. A pessoa precisa se entregar genuinamente ao propósito de Deus com renuncias e perdão. Não é um seminário para quem está em duvida, mas sim para os convictos que precisam de cura e libertação